Pular para o conteúdo principal

Postagens

Livre, leve e solta!

Declarada sã...

Quem realmente, é totalmente sã?  Normal!? 
Padrão de normalidade em saúde, não é matemático, sempre há desvio padrão. 
Passei a fazer parte desse vão, dito padrão, de novo!
Ganhei alta, mais rápido que o esperado! Como sempre... Sempre a quebrar paradigmas, não que isso signifique algo atualmente, sem interesse em ostentar o que quer que seja, a qualquer um ou lugar. Só para reafirmar o nosso movimento cíclico, meio "toc" de todos os seres humanos!
Bem cá estou eu, normal... Livre de "MULETAS", andando novamente pelas próprias pernas, em paz com meu espirito livre, sedenta de novas aventuras, em conformismo com alguns desajustamentos as normativas sociais, filosófica aos extremos, imune de medos invencíveis. Padrão? Não sei se sou padrão, nunca fui... Mas declarada sã!
E o que é ser sã a nível psíquico? 
Ou melhor o que é sã para esta pessoa que vos fala?
Estar encontrando soluções, a cada problema apresentado pela vida, sem dores insuperáveis. A dor des…
Postagens recentes

Vacilos...

Penso atualmente que vacilei um pouquinho com algumas trocas afetivas relacionadas a amizade. Todo mundo vacila, vez  o outra, mas eu vacilei feio! Estabeleci umas conexões que hoje simplesmente não consigo compreender. Daí eu pergunto a mim mesma:  quem era eu?  O que eu pretendia ao deixar algumas pessoas entrarem?
Estar entre poucos, nunca me foi visto com destempero. Nascemos sós,  os melhores e os piores momentos dividimos com nós mesmos, as decisões mais sérias tomamos entre nossos pensamentos... Muitos a nossa volta pouco simbolizam,  se as relações constituem-se por barganha. Ah, os amigos 'guaxinins", tão bonitinhos, não? Flertam com você para poder furtar o que te é importante! Barganham em prol de seus interesses, na verdade pouco se importam com qualquer contexto. O que lhes rege? O que eles querem e quando querem... 
O meu erro se deu porque eu acreditei... Por alguma razão, a minha aproximação a meia idade me fez pensar que eu estava salva da maldade humana, da ingr…

Bem normalzinha!

Essa minha reedição tem dado o que falar...  Fazer o que? 
Ando causando estranhamento a muitas pessoas e passei a ter como praxe a seguinte expressão diante da expectativa do outro:
-Eu lamento!
De repente, não mais que de repente ' a fofa' que eu sempre fui, sumiu! Aquela que estava sempre todo ouvidos aos problemas alheios, permeada de uma compaixão absurda que  movia a acolher sofredores, emprestar  tempo a qualquer tempo, entregar meu ombro e um abraço. Doar palavras de afeto, carinho... Dona das verdades obscuras de outrem, aquelas que vira e mexe alguém buscava para ouvir! 100% solidária a todas as causas. Impressionantemente perspicaz... Parecia ser dona de um pozinho de "Pir Lim Pim Pim, que me dava o poder de agradar o outro como um passe de mágica. Palavras, a ações, os presentes certos, na hora certa! Perfeita!Incrivelmente perfeita, a melhor amiga, a melhor companheira, a melhor organizadora de tudo, a melhor conselheira, a melhor mãe...
E essa última palavra &quo…

Nada de "In memory"

Ouvi esses dias, em uma conversa bacana , de uma amigo:
" Lazer é um assunto sério!"
Algumas pessoas esquecem disso e dedicam sua existência  ao trabalho desenfreado. Falo sobre isso com propriedade, pois já fiz parte deste grupo! Claro que as minhas vivências me tornaram mais próxima da linha tênue de vida e morte, meus valores subscrevem os convencionais. E enquanto alguns permanecem numa busca desenfreada de vai saber o quê? Eu acordo pela manhã e me lembro todos os dias, que hoje pode ser o meu último dia neste mundo. E como sou abençoada por ter o privilégio de acordar pela manhã, respirar e "saber disso".  Então, lembro de uma citação que já deixei por aqui, mas representa muito do que penso:
" Todos vós, que amais o trabalho desenfreado (...),  o vosso labor é maldição é desejo de esquecerdes quem sois."  ( Nietzche)

Eu?
Eu ando em outro ritmo, em outro "time"... 41 anos, mais uns 19 anos me aposento, e  isso voa, não? E daí? O que você vai ser?…

Nem vem tirar meu riso frouxo!

21 de abril... 11:00hs... Uma manhã ensolarada! Uma família reunida e feliz... Uma estrada calma... Um dia tranquilo que só seria mais tranquilo se estivéssemos em encontro a natureza! E para nossa sorte, este era o nosso caminho,  havíamos sendo contemplados por um doce convite no interior... Cavalos a nos esperar para passeios pelo campo! Seguíamos nós, em nosso carro, fortes, seguros, um tanto soberbos diante da vida,  determinados,  livres, leves a curtir o vento sacudir os cabelos.  Não mais que de repente: Surpreendidos por uma colisão! Assim foi 2017! 
22 de abril... 11:20hs... Um dia ensolarado! Um casal reunido! Bons amigos ao entorno! Uma estrada calma... Um dia tranquilo, onde a paz nos encontrou diante da contemplação da  natureza.  Seguíamos nós  em nosso carro, mais conscientes da nossa finitude, modestos diante do universo e suas escolhas, serenos,  livres, leves a curtir o vento a sacudir os cabelos. Levemente intimidados pelo retorno ao mesmo ponto da colisão! Assim foi …

Um ano...

Os astrólogos dirão que:
Um ano corresponde ao intervalo aproximado de tempo que a Terra demora para completar uma volta em torno do Sol.

Os matemáticos dirão que: Um ano tem, 12 meses, 365 dias, 8,760 horas 525,600 minutos e 31,536,000 segundos
Os pediatras dirão: Que o bebê já passou a dar seus primeiros passos, talvez  ainda na ponta dos pés ou se por ventura isto ainda não tiver acontecido, a qualquer minuto ele surpreenderá os jovens papais! Ampliarão as brincadeiras! Cuidado! Muitos  objetos lançados para contemplar o prazer de novos aprendizados. Portas abertas permitem "achados" : O que posso fazer com isso? Bater? Encaixar?
Os fonoaudiólogos dirão: Que neste ano o balbucio apareceu e se transformou em algumas "palavras" com significado, mama, papa. Algumas crianças já produzirão frases curtas. Entenderão ordem simples como Cadê o bebê? Cadê a boca do bebê?
Uma criança no seu primeiro ano do ensino fundamental dirá: Que ainda quer brincar, mas pedem que ela se conce…

" Se vamos todos morrer, vamos tratar de viver!"

Sabe aquelas frases clichê que a gente se defronta todos os dia?
 Bem uma amiga esses dias me disse a seguinte:
A felicidade esta em pequenas coisinhas.

Penso eu que o sentido da vida esta nessas "pequenas coisa"! Aquelas pequenas miudezas do dia a dia. Ando tendo tantas dessas delicadezas no meu dia a dia. 10 minutos a mais para um pequeno cochilo antes de levantar, uma xícara de café quente preparada com carinho, o prato feito prontinho para aquecer ao chegar do trabalho, a adega cheia aos fins de semana para poder optar pelo melhor desejo do dia, uma tarde aconchegada nos braços de quem se ama em meio a semana, parceria para preparar uma bela refeição, uma quebra de regras rotineiras, um cinema no meio da semana, um bolo de queijo numa tarde qualquer. " De repente, não mais que de repente."
A última dessas "pequenas coisinhas" foi nossa primeira competição juntos! Ele muito arredio a essa imersão a 'competições', esta passando a encarar como mais …