Pular para o conteúdo principal

Coisas que não sabemos sobre a gente mesmo...



Várias!

Sou super sociável, falo com todo mundo, tenho um zilhão de amigos, mas não gosto de ser invadida! Como narrei-lhes antes o fato de estar doente e dependente me agride a alma. Não gosto de depender de ninguém, não gosto de pedir nada a ninguém... Sou solista, eu ajudo, mas não gosto de ser ajudada!  Dificilmente me coloco nessa condição! E algo que realmente me irrita. Não poder dar conta do que quer que seja!

Minha mãe, dentro dos seus conceitos se esforçou muito para que eu não precisasse dela, não sei se por medo de eu de repente não ser dona de mim, dificultar sua vida! A questão é que até com relação a meus pequenos, desde seus primeiros dias eu banhei, troquei, limpei, cuidei e se não pudia fazer arrumava quem o  fizesse e seguindo o meu comando!

Intransigente eu!? Penso que muito! Controladora... depende! Da minha vida, com certeza, daquilo que considero me dizer respeito, o resto pouco me importa! Não me prendo muito a picuinhas diárias... Impaciente! Talvez não seja a melhor pessoa do mundo pois esqueço datas comemorativas, não sou de ficar mandando beijos e abraços, e posts melosos pelo whats ou afins... Geralmente quando desenvolvo uma conversa ele tem finalidade tipo; to com saudade, vamos marcar um café, ou vou opinar sobre algo... agora me preocupar onde esta, o que esta fazendo, mandar videos e flores em figurinhas, dificilmente farei!

E quando adoecemos o mundo inteiro faz isso e isso me deixa louca! Completamente louca! Bem estava eu a me queixar sobre esse tornado de mensagens e meu marido riu! Agora esta ele quase 24hs dividindo seu dia comigo, o que já é algo bastante "estranho" ao meu modo operante! Prosseguindo o meu delírio, bufo eu: do que tu ris!? Ele com um sarcasmo atravessado na face me diz, descobri porque gostasses de mim! E eu: ahm? 

Nunca te liguei a cada minuto, nem fico te infernizando durante um dia de trabalho, tomamos cada um nossa decisões e não interferimos de forma invasiva um na vida do outro! E eu olhei para ele, primeiro com um certo ódio, mas depois fui obrigada a concordar! Novamente ele esta certo! Eu preciso de espaço, preciso não ser importunada durante o meu dia, não preciso de ninguém para me dizer o que devo ou não fazer e se alguém passasse a fazer isso constantemente eu eliminaria em um piscar! Não teria jamais dado chance a um segundo encontro, um namoro ou muito menos uma vida!

Sou um 'serzinho' independente emocionalmente! Alguns podem entender como frieza essa falta de conexão constante, mas não é... Talvez me importe absurdamente com pessoas mas não me inerente a habilidade de constantemente trocar o que quer que seja. Preciso de espaço para pensar, para me encontrar, para decidir... Preciso de silêncio para poder me ouvir! Isso é 'jeito"... E cada um tem o seu, né?  O que definitivamente nos torna especiais e atrativos aos outros!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"E se não houver outra vida? Essa tu viveu?"

Esses dias li uma frase, daquelas que aparecem nos feeds de notícia, talvez para nos encontrar em dias distantes. 
Dizia ela:
" E se não houver outra vida?  Essa tu viveu?"
Eu vivi sim... 
Vivi cada segundo com uma intensidade tamanha, vivi cada momento como se fosse único, vivi como se não houvesse amanhã e como se houvesse também! Vivi com uma força extraordinária que por onde passei deixei um pequeno rastro, uma doce lembrança... Vivi para não ser esquecida, para ser guardada e emoldurada dentro de corações! 
Por que!?
Talvez pela doçura do meu modo de ser... Talvez por palavras sábias... Talvez pela coragem que transborda da minha alma... Talvez pela minha sede de viver... Talvez pela minha persistência... Talvez pelo carinho e afeto que transmito a quem eu gosto... Talvez pelas verdades que escorregam da minha boca, sou aquela que diz o que ninguém tem coragem de dizer... Talvez pela minha lealdade... Talvez pela minha sinceridade... Talvez pelo meu bom humor diante de problem…

Felicidade não se expõe

Quem me segue por aqui e me lê por aqui, não acessa um outro lado meu! Acredito que tenham percebido que preso por não divulgar nomes, nem locais, nem pessoas... Na verdade, falo de pensamentos, de acontecimentos, de mim, de alguéns... Qualquer "alguém"! Não interessa "quem"? Alguém que existiu ou existe...
Mas em algumas outras redes sociais exponho um pouco mais da minha vida... Atualmente para pouquíssimas pessoas! Aliás, muito mais da minha vida! E a minha vida é extremamente "cheia" de tudo... 
Pequenos momentos, instantes felizes, em meio, as vezes, a dias  muito atribulados! Mas tão bom ver um raio de sol entre as nuvens, uma joaninha perdida entre folhas! E acabo por administrar assim os meus dias, encontro felicidade em segundos!
E toda a experiência boa acaba por tomar conta do resto! Pense numa lembrança de saudade, a gente não lembra do difícil, da perda, da exaustão para alcançar algo, a gente lembra do que nos fez sorrir! E eu sorrio muito... 
Ma…

Buracos Negros

Hawhing fala sobre os buracos negros, já lhes falei que adoro ele? Agnósico como eu! Pois bem... 

“A existência de histórias alternativas com buracos negros sugere que isso é uma possibilidade. O buraco teria que ser grande e, se estivesse em rotação, poderia ser uma porta para um Universo diferente. Mas você não conseguiria mais voltar para o nosso”
Quase morrer é um buraco negro, não que você tenha escolhido se jogar por vontade própria nele... Simplesmente aconteceu e esse evento muda toda a forma como você vê o mundo, como você se relaciona com o mundo...
Ao se jogar em um buraco negro, você sai soberbo, vitorioso... Você o venceu, mas também sai insignificante, pois dá-se conta que você era uma pião de xadrez no universo de alguém! Quem te garante que você é a rainha ou o rei!???
Quando você renasce,  a bondade exala da sua alma e você crê que tudo mudou, que você será capaz de mostrar ao universo que viver é uma dádiva e isso basta... Que nada ao fim faz sentido, a não ser o amor qu…